Gestão de clima organizacional

A psicologia organizacional conta com ferramentas para estimular a manutenção de um clima positivo no empreendimento. Com os vários conhecimentos de relações humanas baseados nas ciências psicológicas, é possível gerenciar diferentes questões do negócio e ajudar a equipe a lidar com os maus e bons momentos pelos quais uma corporação passa.

Além disso, a psicologia organizacional também usa a mediação de conflitos para auxiliar os profissionais nos momentos de desacordos. Essas situações são naturais em qualquer ambiente de convivência entre pessoas, mas é preciso que haja uma estratégia adequada para serem gerenciadas.

As pesquisas de clima organizacional exigem muitos conhecimentos sobre a gestão do negócio e relações interpessoais. Porém, somente a aplicação de um teste não é o suficiente. É preciso um raciocínio clínico e voltado para os conhecimentos de psicologia do trabalho para diagnosticar adequadamente a situação da corporação.

O desenvolvimento de estratégias para melhorar os problemas identificados passa também pelos saberes de teorias sobre processos grupais, pois a empresa é configurada em um conjunto de setores que formam núcleos coletivos. Assim, é primordial desenvolver toda a prática ligada à gestão de clima organizacional com métodos especializados para garantir ações mais efetivas.

Plano de cargos e salários e plano de carreira

A psicologia organizacional é a responsável por definir as atribuições de cada cargo e delimitar os salários e benefícios aplicáveis a cada função. Os conhecimentos em gestão de pessoas e em psicologia do trabalho e das organizações permitem desenvolver desenhos de cargos efetivos e adequados à filosofia da empresa.

A elaboração de planos de cargos e salários envolve a gestão de benefícios, que demanda um conhecimento aprofundado sobre a equipe. Afinal, dependendo do grupo que trabalha no empreendimento, as ofertas de benefícios devem ser diferentes.

Um coletivo formado predominantemente por trabalhadores mais velhos dificilmente vai desejar benefícios como descontos na faculdade ou itens mais voltados para o público jovem, certo?

Os psicólogos organizacionais têm conhecimentos de estatística, fundamentais para realizar um estudo aprofundado do grupo de trabalho. Assim, os benefícios podem ser definidos de forma personalizada, atendendo aos interesses dos colaboradores e gerando satisfação.

Outra ferramenta importante é o plano de carreira, que deve ser desenvolvido individualmente e a partir de uma escuta clínica das demandas de cada um.

Quando se trata das aspirações profissionais, há um perfil muito variado dentro da empresa. Alguns sabem bem o que desejam. Outros já têm muitas dúvidas e poucos planos para o futuro. É papel do psicólogo organizacional ouvir os profissionais e auxiliá-los no delineamento de metas para a carreira, de acordo com possibilidades reais.

Diagnóstico organizacional

Quando uma corporação apresenta problemas ligados à gestão de pessoas, diversos efeitos negativos começam a aparecer. Queda de desempenho dos trabalhadores, desmotivação, excesso de licenças e adoecimentos ocupacionais, conflitos numerosos, tensão e dificuldade de relacionamento na equipe são apenas algumas dessas consequências.

Com saberes da avaliação psicológica, psicologia dos grupos e de psicologia do trabalho e das organizações, o psicólogo do meio corporativo tem ferramentas para realizar diagnósticos precisos e empreender soluções efetivas para o negócio.

A psicologia organizacional tem um amplo leque de conhecimentos para realizar a análise e o diagnóstico de questões ligadas aos profissionais. Assim, é possível identificar falhas na gestão dos colaboradores que podem desencadear quedas de desempenho, conflitos no meio laboral e qualquer outro problema ligado ao fator humano da companhia.

Fonte: http://www.kenoby.com/blog/psicologia-organizacional/